A Beleza e a Ternura da Mitologia Maori

August 25, 2020

 

 

Toda vez que a temida seleção de Rugby da Nova Zelândia entra em campo, antes de começar a jogar, eles fazem uma dança chamada “Haka”: colocam as mãos contra as coxas, estufam o peito, dobram os joelhos, batem os pés o mais forte que podem e o líder grita “é a morte, é a morte! ”, e em seguida o time grita: “é a vida” e terminam dizendo “o Sol brilha! ”.  Essa cerimônia tem origem na Mitologia Maori, proveniente da cultura nativa da Nova Zelândia.

 

 

 

 

 

De acordo com Tīmoti Kāretu, acadêmico especialista na cultura Maori, o Haka foi "erroneamente definido por gerações de desinformados como 'danças de guerra'", na verdade, o Haka é uma forma de celebrar a Vida.

 

Quando os britânicos chegaram pela primeira vez às belíssimas ilhas neozelandesas, se depararam com o povo Maori. Uma cultura muito rica em símbolos, mitos, cerimônias e formas religiosas. O jeito como essa tradição explica a origem do mundo envolve muita ternura e muito Amor.

 

Eles costumavam contar aos seus filhos que no começo do mundo existiam dois Deuses, o Deus Rangi, ou pai céu e a Deusa Papa, mãe terra. Ambos se amavam muito e viviam eternamente abraçados. Seus filhos viviam dentro do seu abraço, aquecidos e protegidos. Até que um deles, o Tane (Deus da floresta) resolveu afastá-los para que entrasse luz para seus irmãos, e com os pés no ventre de Papa, empurra com muita força o peito de Rangi. Assim, o céu vai se afastando da terra e todos os filhos do casal, as pedras, as plantas e os animais, começam a ser iluminados pela luz do Sol, e se libertam. Triste com a separação, Rangi chora copiosamente e suas lágrimas caem sobre Papa dando origem aos oceanos.

 

 

 

 

Esse Mito conta a história da criação do mundo de uma forma muito Humana. Abraçar, acolher, afastar e chorar são aspectos profundamente Humanos. Falar da origem de tudo usando essas figuras é um jeito Inteligente de conectar aspectos sutis da nossa alma à causa inicial de Tudo. Para a Mitologia Maori, tudo está integrado, desde a vastidão dos oceanos até as lágrimas que correm em nossos olhos, as florestas, as nossas afetividades, a história do mundo e nossa história pessoal. Cada pequeno aspecto da nossa existência contém todo o Mistério do mundo. Este é justamente o sentido profundo da idéia de religião, é ver todas as coisas a partir da ideia de Unidade.

 

 

 

 

 

Para a tradição Maori, nada está separado, tudo se Unifica de algum modo, toda a multiplicidade do mundo une-se por um fio Misterioso. Não se chega a esta percepção por vias meramente intelectuais, é preciso despertar a consciência para uma realidade mais profunda, que só pode ser acessada através de um tipo de Intuição. E isso se faz a partir de símbolos e cerimônias. Esse saber é mais do que apenas mental é um saber profundo que sentimos dentro de nós. Só uma cultura muito comprometida com essa natureza transcendente consegue construir uma narrativa para a criação do mundo semelhante a esta do povo Maori. 

Somos hoje uma civilização muito intelectual, muito comprometida com a informação e com a técnica, falta-nos a Ternura, a Mística e, por conseguinte, a Profundidade frente ao Mistério que a cultura Maori nos apresenta. Então, que aprendamos com eles.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

DIFICULDADE COM AS LEGENDAS?

Caso você não saiba ativar as legendas nos vídeos do youtube, clique aqui para acessar o tutorial.

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Procurar por Tags
Histórico de publicações
Please reload

Please reload

Siga essa Idéia

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Você também vai gostar
Please reload

© 2017 por "Equipe Feedobem". Orgulhosamente criado pela Feedobem

    Gostou do nosso portal? Nos ajude a elaborar artigos e

conteúdos cada vez melhores para vocês. ;-)