Como Estamos Educando as Crianças?

January 21, 2020

 

 

Recentemente tive a oportunidade de participar de um jogo de queimado na praia, não lembro quantos anos fazem da minha última partida! O mais curioso desse cenário não foi o jogo em si, mas as pessoas em volta que se detinham para observar o que acontecia. Algumas paravam para assistir o jogo, trocavam uma ou outra palavra e até mesmo perguntavam: “estão mesmo jogando queimado?”.

 

O que mais me impressionou foi a reação da ‘platéia’. Infelizmente não se vê mais esse tipo de brincadeira, nossas crianças hoje não conhecem estes jogos que fizeram parte da infância dos anos 90 para trás.

 

E o que houve? Por que as crianças deixaram de brincar na rua? Podemos culpar a violência e o perigo como motivo de tirar as crianças das brincadeiras do meio de rua, o que não deixa de ser verdade. Mas num condomínio fechado, numa cidade mais segura, este “fenômeno” também acontece. Existe outro fator por trás desta mudança na infância e nas brincadeiras, muitas vezes estimulados por pais, tios e avós dessas crianças: o mundo virtual.

 

Os jogos de celular, tablet, videogame e computador chegaram para tomar todo o espaço das ruas. Qual a graça de se sujar, suar ou até se machucar, se eu posso fazer algo mais mirabolante e explosivo com um controle e uma tela? É uma difícil competição: a rua contra o videogame. As “brincadeiras de rua” exigem imaginação, criatividade, convivência em grupo, fazer novas amizades, lidar com as diferenças… Nada disso é necessário no mundo virtual, os jogos por si só providenciam tudo, gerando férias bem diferentes das de antigamente, igual ao quadrinho abaixo: 

 

Não é a toa que os índices de depressão na infância e adolescência aumentam junto com os novos jogos e videogames… As brincadeiras não eram apenas para entretenimento, elas faziam parte da formação das crianças. Por mais que o mundo virtual nos ajude bastante nos afazeres do dia a dia, inclusive no manejo das crianças,  pois consegue deixá-las mais quietas e calmas, não trazem os elementos necessários para a formação correta da infância. Como consequência, elas ficam despreparadas para enfrentar as adversidades da idade e, ao longo do tempo, se tornarão adultos despreparados para a vida.

 

Tudo o que elas desejam viver no videogame pode ser vivido na vida real: aventuras, desafios, conquistas… Nós só precisamos estar atentos para não estarmos tão mergulhados no virtual quanto elas, e assim, conseguirmos mostrá-las que a vida real ainda é mais valiosa do que a virtual. Então, não basta proibir as crianças de se divertirem nos jogos eletrônico. Nós precisamos ensiná-las com nosso exemplo de vida, que os desafios do mundo real, como o trabalho, a convivência, e até mesmo os problemas que surgem, são grandes oportunidades para crescermos… E a felicidade de sentir que estamos nos tornando seres humanos melhores, é infinitamente maior que qualquer diversão de vídeo game.

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

DIFICULDADE COM AS LEGENDAS?

Caso você não saiba ativar as legendas nos vídeos do youtube, clique aqui para acessar o tutorial.

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Procurar por Tags
Histórico de publicações
Please reload

Please reload

Siga essa Idéia

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Você também vai gostar
Please reload