Arquipélago Gulag

January 21, 2020

 

 

 

Na última década do século, o jornal parisiense Le Monde construiu uma lista dos cem livros mais influentes de todo o Século XX. Entre “O Processo”, de Kafka, “O Ser e o Nada”, de Sartre e “O Estrangeiro”, de Camus, estava “Arquipélago Gulag”, de Alexander Soljenítsin, que recebeu o prêmio Nobel em literatura no ano de 1970. O que tem esse livro que é tão premiado desde sua publicação em 1973? 

 

 

Tem livros que são mais do que livros, são verdadeiros documentos históricos. Assim é esta obra de Soljenítsin, pois descreve com detalhes o sistema punitivo soviético de Stalin, aplicado em quem se insurgisse contra ele. A descrição supre uma lacuna documental, pois explora um ambiente que jamais veremos em registro de imagens. Nunca saberíamos dos campos de concentração soviéticos e o que acontecia nele, não fosse a postura desse homem em transformar tudo em literatura.

 

Soljenítsin nasceu na União Soviética em 1918, um ano depois da revolução. Inicialmente foi entusiasta do regime, chegou a lutar na II Guerra e ser condecorado Capitão, mas com a maturidade surgiram fortes dúvidas quanto ao regime, até que foi preso por fazer críticas ao Governo de Stálin em uma correspondência a um amigo.

 

 

Preso, inicialmente para cumprir oito anos em um campo de trabalhos forçados, Soljenítsin passou a maior parte de sua existência respondendo por essa “transgressão”. Depois de passar por campos de trabalhos siberianos, onde os invernos chegam a 67º C abaixo de zero, iniciou em 1953 a pena de exílio perpétuo no Cazaquistão.  Somente conseguiu retornar à Rússia em 1994.

Durante o período de punição, Soljenítsin escreveu vários livros, mesmo incrédulo quanto à possibilidade de algum dia uma dessas obras vir a ser publicada. 

 

Esses textos são verdadeiros documentos descritivos dos horrores produzidos no interior desses campos. O livro Arquipélago Gulag é uma das obras principais de todo esse conjunto de textos. Escrito sob sigilo absoluto, somente depois de ganhar o Nobel de Literatura em 1970, é que resolve publicá-lo. 

 

O livro é um protesto contra qualquer ideologia que suprima a liberdade individual, contra a tortura, contra a aplicação de penas cruéis e um grito em prol do melhoramento humano. Recomendamos a leitura!

 

 

 

 

 

 

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

DIFICULDADE COM AS LEGENDAS?

Caso você não saiba ativar as legendas nos vídeos do youtube, clique aqui para acessar o tutorial.

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Procurar por Tags
Histórico de publicações
Please reload

Please reload

Siga essa Idéia

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Você também vai gostar
Please reload

© 2017 por "Equipe Feedobem". Orgulhosamente criado pela Feedobem

    Gostou do nosso portal? Nos ajude a elaborar artigos e

conteúdos cada vez melhores para vocês. ;-)