A Alquimia dentro do Ser Humano

(Créditos: MiniLua)

Quando lemos sobre a Idade Média, aprendemos um pouco sobre o feudalismo, a inquisição, as cruzadas, os templários, mas neste mesmo período houve também o desenvolvimento de uma ciência profunda e muito misteriosa, a Alquimia.

Na Idade Média, esta ciência se baseava em estudos por homens da igreja, monges em sua maioria, que tinham acesso a livros e obras antigas proibidas pela inquisição. Hoje, com o Google e as redes sociais, nós temos acesso a praticamente todo tipo de publicação e informação de forma muito rápida e simples, mas imagina como era difícil acessar e compartilhar conhecimentos quando a única tecnologia que existia para fazer a cópia de um texto, era a tinta, a pena e o papel, ou seja, tinha que fazer uma cópia à mão. Tudo isso, sem contar com a proibição e a “satanização” de praticamente todo conhecimento que não fosse o oficial da Igreja Católica Romana.

A ideia principal da Alquimia é a da transmutação, o famoso “transformar chumbo em ouro”, ou seja, alterar a natureza dos elementos. O fato interessante é que, muito mais do que fazer experimentos, os alquimistas eram estudiosos das mais diversas filosofias, tratados e obras esotéricas, conheciam sobre a natureza, sobre os minérios, os vegetais e a medicina. Paracelso foi um dos grandes alquimistas, e possui escritos sobre cuidados com a nossa saúde e sobre o cultivo de plantas que são válidos até hoje!

Pedra Filosofal (Créditos: Que nem Banana)

É comum encontrar relatos na literatura de que os alquimistas buscavam a pedra filosofal, a fonte da eterna juventude e a imortalidade. Essa pedra também daria poder para realizar a famosa transmutação. Num período em que o materialismo reinava, em que a própria religião tratava somente de coisas superficiais e profanas, dificilmente a massa entenderia qual realmente era o propósito desses alquimistas. Na verdade, a juventude da qual se referiam era a juventude da alma. Assim como a verdadeira transmutação, muito mais do que o ouro material, o que eles buscavam era a transmutação de si mesmos, da própria personalidade. Desejavam transformar aqueles elementos pesados e grosseiros como o chumbo que existe dentro do ser humano, que são os vícios, as preguiças, as vaidades e acendê-las a uma natureza mais nobre, de ouro espiritual. Em outras palavras, eles queriam transmutar seus defeitos em virtudes

Quando se vive em nome das ideias, os valores se voltam para o eterno ao invés do efêmero, alcança-se a verdadeira juventude. Então, podemos entender que a verdadeira Pedra Filosofal é a própria Filosofia, no sentido clássico.

Muito mais do que uma “ciência maluca” feita por homens gananciosos, os alquimistas nos aportaram com ideias para a vida, nos ensinando que as maiores riquezas que existem são aquelas da alma humana. Então, aprendamos com eles a fazer esta transmutação no nosso dia a dia.

O vídeo abaixo nos traz mais detalhes da filosofia e da base da alquimia da idade média, não deixe de conferir!

https://www.youtube.com/watch?v=8whFz7B-qDQ

DIFICULDADE COM AS LEGENDAS?

Caso você não saiba ativar as legendas nos vídeos do youtube, clique aqui para acessar o tutorial.

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Procurar por Tags
Histórico de publicações
Siga essa Idéia
Você também vai gostar

© 2017 por "Equipe Feedobem". Orgulhosamente criado pela Feedobem

    Gostou do nosso portal? Nos ajude a elaborar artigos e

conteúdos cada vez melhores para vocês. ;-)