Um passeio pela Arqueologia Sagrada

October 20, 2017

 

Uma das formas de manter viva a história de antigas civilizações é preservando construções arquitetônicas produzidas em diferentes períodos. E ainda bem que existe a fotografia para captar a beleza dessas construções, não é? A fotógrafa brasileira Kenia de Aguiar Ribeiro fez uma seleção de monumentos que nasceram da relação entre algumas sociedades e suas crenças sagradas.

 

Hoje em dia já existem hipóteses razoáveis para explicar como esses gigantes da Ilha de Páscoa, os Moais, foram transportados para seu local final. A grande pergunta é: Qual o sentido dessas grandes obras?

De acordo com o que é contado ainda hoje pelo povo Rapa Nui, os Moais eram sempre colocados de costas para o mar, virados para seus correspondentes clãs (doze no total) para protegê-los com a energia que emanava de seus olhos.

Provavelmente as fronteiras entre o que é mito e o que é história não se separam nesses relatos, assim como acontece em todas as culturas e em todas as épocas. Pois os nossos mitos, aquilo que acreditamos, é o que forma a nossa cultura e escreve a nossa história.

 

Apesar de o Stonehenge ter sido erguido há mais de 5 mil anos e sua origem e função serem desconhecidos até hoje, essa estrutura arquitetônica intriga e
encanta a humanidade.

Pesquisadores já descobriram que diversos conhecimentos avançados em matemática, geometria e astronomia foram necessários para a construção desse colosso. Algumas dessas rochas que pesam dezenas de toneladas foram transportadas por mais de 260km e foram posicionadas de forma a marcar momentos importantes do "movimento" solar, como os equinócios e solstícios. Mas como um povo, que teoricamente era primitivo, tinha essa capacidade? 
Sem dúvida fica em nós uma grande curiosidade para descobrir quais foram essas técnicas, mas maior ainda é o impacto que nos causa o reconhecimento dessa força de verticalização que faz com que o ser humano seja capaz de "mover montanhas" na sua busca pelo sagrado.

 

Quanto mais descobrimos sobre o passado, mais mistérios surgem na história. Mas uma coisa é certa, é impossível não ficar encantado a cada nova descoberta arqueológica, que ajuda a revelar mais sobre a humanidade. 
E foi exatamente assim com Petra, conhecida também como Cidade Rosa, descoberta em 1812 por um arqueólogo Suíço com a ajuda de nabateus nômades. 
Já tendo sida ocupada por árabes, romanos e bizantinos, Petra é considerada hoje um Patrimônio da Humanidade, além de ter sido eleita uma das Novas Sete Maravilhas do Mundo. 
No filme Indiana Jones e a Última Cruzada, de 1989, o protagonista entra no templo Al Khazneh e lá encontra o Santo Graal protegido por um cavaleiro templário. Isso serve de símbolo para nos mostrar que a cidade Petra e tudo que é construído em nome do sagrado não perde o seu valor, mesmo com o passar dos séculos.

 

No topo da cidade de Atenas, na conhecida Acrópole, um Templo resiste ao poder dos homens há milênios. Erechtheion, nome dado em homenagem a um Rei herói de Atenas, ergueu-se em meio à Guerra do Peloponeso. Nasceu em meio a um período turbulento e atravessou tantos outros, sendo símbolo de poder de diversos povos de culturas diferentes. 
Sua proposta inicial era ser um Templo dedicado a Deuses da mitologia grega, mas também se tornou igreja e, depois, residência de turcos no período otomano. No entanto, a soberania do homem não foi o suficiente para apagar a simbologia Sagrada de Erechtheion que sobrevive até hoje.
Nas antigas cidades gregas, as principais construções e Templos eram construídos na Acrópole, que era o local mais elevado da região. Isso era feito para que cada cidadão pudesse enxergar, desde qualquer ponto da cidade, esse símbolo de conexão do Céu com a Terra.

 

O Egito é tão importante para o mundo moderno quanto o antigo Império Romano e a cada nova descoberta arqueológica descobrimos quão a frente de seu tempo os egípcios estavam. 
Apesar de até hoje a construção das Pirâmides ser um mistério, sabe-se que elas são de uma precisão invejável, além do fato de já usarem soluções arquitetônicas e de engenharia que só viriam a ser utilizadas novamente em tempos modernos. 
Sabe-se também que as Pirâmides eram como Templos Sagrados usados como a última morada para os Faraós. Historiadores afirmam que seu formato triangular não é por acaso e remete à Trindade, encontrada em todas as religiões. As Pirâmides podem ser vistas como um símbolo de união entre o mundo espiritual e o mundo material. 
O que torna a história das Pirâmides ainda mais intrigante é o fato de haverem outras construções semelhantes a elas em outras regiões do mundo, como por exemplo o Túmulo Real de Palenque e a Pirâmide do Sol em Teotihuacan, ambas no México. 

 

Sabia que este Templo, na ilha grega de Egina, já foi considerado a casa de Zeus há milênios? Depois, foi da Deusa Atena. Há toda uma mitologia por trás da construção do local. Ganhou o nome de Afaia por causa da história de uma ninfa de mesmo nome. 
Na mitologia, Afaia foi bastante perseguida pelos homens por conta de sua beleza e, para protegê-la, sua meia-irmã, Artemisa, a transformou em um ser invisível. Sua história continuou viva e se materializou neste Templo Sagrado, construído no mesmo local onde ocorreu o seu desaparecimento, e agora é o símbolo de uma Beleza mais Espiritual e invisível, muito superior à beleza que os olhos podem ver.

 

Por trás de toda a beleza arquitetônica das Pirâmides do Egito, há uma relação com a crença na vida após a morte cultivada pelos egípcios há milênios. 
A foto apresenta a Pirâmide de Khafre junto à Esfinge - a escultura com corpo de leão e a cabeça do Faraó de mesmo nome. A história relata que ele encomendou a Esfinge para ser uma espécie de guardiã para a Necrópole de Gizé.
Sempre rodeadas de mistérios, essas construções nos mostram que o Antigo Egito prezava muito por seu maior tesouro: A sabedoria dos chamados "Mistérios Iniciáticos", que ensinavam sobre o sentido da Vida, na sua expressão material e no pós-morte.

 

 Kenia é brasileira formada em Comunicação pela Universidade de Brasília (UnB). Aos 11 anos, sonhava em ser arqueóloga e atualmente cursa a graduação nesta área na Universidade de Sorbonne, em Paris. 

Para conferir mais fotos desta galeria, é só acessar o seu site oficial aqui!

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

DIFICULDADE COM AS LEGENDAS?

Caso você não saiba ativar as legendas nos vídeos do youtube, clique aqui para acessar o tutorial.

  • Facebook Social Icon
  • Instagram Social Icon
  • YouTube Social  Icon
Procurar por Tags
Histórico de publicações
Please reload

Please reload

Siga essa Idéia

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Você também vai gostar
Please reload

© 2017 por "Equipe Feedobem". Orgulhosamente criado pela Feedobem

    Gostou do nosso portal? Nos ajude a elaborar artigos e

conteúdos cada vez melhores para vocês. ;-)